O Distrito Spark CWB fechou sua operação em Curitiba?

15/04/2022

O Distrito Spark CWB fechou. O Coworking Distrito anunciou que não é mais a responsável pela gestão do coworking instalado no prédio da FAE, em Curitiba. Depois de quatro anos ocupando o espaço dedicado à inovação, o Distrito passou a gestão do hub para a FAE em abril de 2022.

Por que o Distrito Spark CWB fechou em Curitiba?

distrito spark cwb fechou
Distrito

“O Distrito Spark CWB fechou, mas não vai sair do ecossistema de Curitiba, mas está fortalecendo sua presença digital, com o mesmo trabalho de sempre. O espaço do coworking vai continuar existindo sob a chancela da FAE, enquanto o Distrito continuará fazendo seu papel de impulsionador do ecossistema brasileiro”, contou Gustavo Geriun, cofundador do Distrito, sobre a decisão.

O espaço continuará a ser utilizado na FAE como um coworking (hub de inovação), mas com maior integração às atividades acadêmicas do centro universitário. “Nossa opção é manter o espaço presencial e agregar ainda mais com a academia, como uma unidade de negócios à parte”, conta Jorge Apostolos Siarcos, diretor geral da FAE.

O Distrito Spark CWB encerrou oficialmente o contrato com os residentes ao final do mês de março, e a partir de abril os pagamentos e cobranças ficaram sob a gestão da FAE. Nesse período de transição, o Distrito treinou a equipe da FAE para comandar o hub.

A proposta original: conectar Investidores, empresas e empreendedores.

O espaço nasceu com o objetivo de unir em um único espaço físico investidores, empresas e empreendedores com o objetivo de gerar soluções e negócios disruptivos.

O empreendimento se posicionava como não sendo mais um coworking, mas sim uma plataforma de inovação. “Nosso espaço é um lugar onde empreendedores se aproximam de investidores e convivem em um ambiente de troca. Temos a certeza que do Distrito sairão soluções disruptivas que vão impactar o nosso dia a dia. E Curitiba é um dos grandes celeiros de startups para o Brasil”, explica Agazzoni, que coordenava os espaços do Distrito em SP àa época do lançamento da iniciativa.

O lançamento do Distrito Spark CWB já aconteceu com empresas âncoras que apoiavam o empreendimento como a Rumo, Bosch, Votorantin, o Conglomerado Financeiro Barigui, além da FAE, que estiveram lado a lado com os empreendedores em um espaço que abrigava cerca de 200 residentes e 30 startups. A estrutura contava ainda com 1 coffee lounge, 3 salas de reunião, 19 salas privativas, 4 cabines de ligação individuais, 40 posições abertas, 1 laboratório de design thinking, 1 auditório de 200 lugares e salas de aula.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.